Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 19 de setembro de 2021

Educação

Alunos do Fies relatam dificuldades em renovar contrato

12 de Março de 2015 | 16h 37

Estudantes dizem que foram orientados a reduzir o número de disciplinas

Alunos do Fies relatam dificuldades em renovar contrato
Alunos do Fies relatam dificuldades em renovar contrato com faculdades

Estudantes de faculdades particulares de Salvador inscritos no Programa de Financiamento Estudantil (Fies) temem precisar atrasar ou trancar os cursos. Eles alegam enfrentar problemas para renovar os contratos. O prazo termina no dia 30 de abril. Entenda aqui o problema e tire suas dúvidas.

G1 conversou com alguns estudantes e, entre as queixas mais relatadas, estão a redução no número de disciplinas ofertadas e a dificuldade em acessar o sistema do Fies na internet. Alguns continuam frequentando as aulas nas faculdades, mas sem saber se conseguirão renovar os contratos com o programa.

Aluno do terceiro semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Salvador (Unifacs), Lucas Oliveira afirma que chegou a se matricular e formar grade curricular com seis disciplinas, mas foi orientado a fazer redução para duas matérias, o que considera pouco.

"Fiz a matrícula, mas fui impossibilitado de realizar o aditamento [renovação] com o Fies por me recusar a reduzir a quantidade de disciplinas que escolhi para duas. Eu me matriculei em seis matérias, mas minha quantidade de crédito só me possibilita pegar uma ou duas, no máximo. No semestre passado também peguei seis matérias, mas dessa vez não consegui. Se continuar assim, o meu curso que eu terminaria em cinco anos, passaria para oito, nove anos", afirma. "Estou indo para todas as aulas, até das disciplinas que não consegui. Se continuar desse jeito, vou sair da faculdade e fazer cursinho", completa o rapaz.

Situação semelhante foi encontrada pela estudante Mayara Rodrigues, segundo semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo. "Na semana passada me matriculei em sete matérias, mas tiraram três e agora só tenho quatro. A faculdade falou que era por causa do Fies", disse.

A estudante Camila Alves, primeiro semestre do curso de Engenharia Civil, reclama que não consegue se inscrever através do site do Fies. "Eu não estou conseguindo me inscrever no site do Fies. Fica aparecendo que a universidade está sem limite. Já entrei em contato com a universidade e dizem que é para continuar tentando".

"Não estou conseguindo entrar no site. Nas vezes que consigo, dá erro em algumas etapas. Fiz a matrícula na faculdade, mas não consigo a inscrição no Fies. Estou esperando e me falaram que, se eu não tiver dinheiro para pagar, eles não podem tirar da gente até terminar o semestre. Então vou continuar indo para as aulas e acho que, até o final do semestre, consigo me inscrever", relata o também estudante de Engenharia Civil, Ramon Oliveira.

No sábado (9), cerca de 400 estudantes foram convocados para confirmar as disciplinas que iriam cursar e formaram longa fila dentro da Universidade Salvador (Unifacs). Nesta quinta-feira (12), a Faculdade Regional da Bahia (UNIRB) também recebeu grande quantidade de alunos que pretendia resolver sua situação.

Opinião dos estudantes
O impasse envolvendo as universidades tem provocado apreensão entre os estudantes. Com mensalidades em torno de R$ 1,4 mil, alguns veem como alternativa recomeçar os estudos e tentar cursar uma universidade pública.

"Infelizmente não tem como pagar R$ 1,4 mil de mensalidade. Vou continuar tentando me inscrever no Fies até o dia 30 de abril, mas não tenho muita esperança disso mudar porque desde fevereiro estou tentando e nada. Se não conseguir, vou tentar vestibular para outra instituição", conta Camila Alves .

"Sou de Irecê e vim só para estudar. Estou com medo de não conseguir o aditamento e ter que fazer cursinho para tentar uma faculdade pública. Quando terminei o ensino médio, fiquei um ano decidindo o que ia fazer e perdi esse ano. Agora corro o risco de voltar à estaca zero. Vai ser um inferno se isso acontecer", relata o estudante de Arquitetura e Urbanismo, Lucas Oliveira.

Mas também há estudante confiante na resolução do problema. "Eu não sei o que vou fazer caso não consiga pegar todas as matérias que quero. Mas estou assistindo as aulas, comecei o semestre. Como algumas pessoas que estavam na mesma situação que a minha conseguiram normalizar depois de um tempo, acho que eu vou conseguir também", acredita Mayara Rodrigues.

Novos critérios do MEC
Em dezembro de 2014, o Ministério da Educação (MEC) definiu novos critérios para a concessão de novos contratos de financiamento, incluindo um prazo de cadastro mais curto, notas mínimas nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), limite para o reajuste da mensalidade, limites de atendimento de pedidos de contrato de acordo com a nota do curso e redistribuição de contratos, para beneficiar regiões que tinham atendimento mais baixo do programa.

O motivo da nova política foi a multiplicação de gastos que o governo federal teve com o programa. Entre 2010 e 2014, segundo o MEC, o número de novos contratos cresceu quase 10 vezes, de 76,2 mil para 731,3 mil. No fim de 2014, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) registrava 1,9 milhão de contratos de financiamento estudantil.

De acordo com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), quem já estava na faculdade com curso pago pelo Fies deve apenas fazer o aditamento (renovação) de renovação semestral dos contratos de financiamento pelo site SisFies. Segundo o MEC, quem já tem o Fies não perde o benefício. Os estudantes que precisam tirar dúvidas e fazer reclamações sobre o sistema podem entrar em contato com o Ministério da Educação através do telefone 0800-616161.

FONTE: G1BA



Educação LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje