Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, segunda, 08 de agosto de 2022

Política

Nome de José Ronaldo foi inviabilizado por construção política, diz ACM Neto

05 de Agosto de 2022 | 11h 50

Ex-prefeito de Feira teria se irritado com decisão e ameaçado romper com o grupo político

Nome de José Ronaldo foi inviabilizado por construção política, diz ACM Neto
Foto: Acom ACM Neto

Após o anunciar o nome de Ana Coelho para vice na chapa majoritária que disputará as eleições governamentais na Bahia, ACM Neto afirmou, em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (4), que seria impossível atender todas as expectativas e que a escolha foi uma construção de cunho político, que inviabilizou os outros candidatos à vaga, como é o caso do ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho (União Brasil).

“O que está acontecendo, hoje, é resultado de uma construção política, como tem que ser. Eu deixei aqui bem claro o papel preponderante do Republicanos nesta decisão. A construção política resultou na apresentação do nome de Ana, que tem de um lado o respaldo político, e de outro um perfil maravilhoso para o que eu desejo. Seria impossível a gente atender a todas as expectativas”, frisou.

Sobre situação de José Ronaldo e de Marcelo Nilo (Republicanos), que também cobiçava a vaga, o ex-prefeito de Salvador disse que estima a ambos e que dará tempo a Ronaldo para decidir seu futuro no partido. Nilo optou, segundo Neto, por retirar seu nome do processo e se candidatar a um novo mandato de deputado federal. “Em relação a Zé Ronaldo, tenho uma história com ele. Já vivemos muitos momentos juntos. Ele é um dos políticos, hoje, que têm o meu maior carinho e meu maior reconhecimento”, afagou.

O pré-candidato do União Brasil também enfatizou que estaria feliz com qualquer que fosse a escolha. “Zé tinha, como Marcelo, natural e legitimamente, a expectativa de poder estar nesta chapa. Se ele aqui estivesse, eu estaria tão feliz quanto estou na companhia de Ana. Mas, em função da construção política, não foi possível. É natural que ele possa ter o tempo necessário para refletir, porque a pessoa, quando cria uma expectativa e não se concretiza, tem que ter um tempo. Eu tenho que respeitar”, comentou.

ACM Neto disse que, ontem, conversou muito com Ronaldo, antes do anúncio da decisão, que atribuiu ao partido. “Ele foi à minha casa. Ele sempre terá todo meu carinho e acho, mas isso depende da vontade dele, que ele pode ter um papel importantíssimo na campanha e depois. Mas eu tenho que respeitar a vontade, a decisão e o posicionamento dele. Nada da minha parte muda o carinho, o respeito e a admiração de que Zé pode ter um papel preponderante neste projeto”, assegurou.

Neto negou os rumores de eu José Ronaldo tenha se irritado com a opção por Ana Coelho e ameaçado deixar o partido. “Tivemos uma conversa, hoje pela manhã, em excelente nível, muito tranquila. E é claro que ele desejava estar aqui. Expliquei para ele os motivos que estavam resultando na escolha do nome de Ana. Agora, evidentemente, não posso falar por ele. A mim, pessoalmente, ele nunca trouxe nenhuma palavra neste sentido”, garantiu.

REVOLTADO – Segundo o jornal A Tarde, a reação do ex-prefeito de Feira, foi outra, nada amistosa. Com a expectativa era grande, a decepção também foi. Conforme o portal de notícias, fontes ligadas a Ronaldo confirmaram a informação de que ele deixou o escritório do partido bastante revoltado. Também ressaltaram que, na noite anterior, ele teria comunicado à família que seria o vice.

José Ronaldo vinha conquistando o apoio de outros partidos, como é o caso do PTB, do PDT, do PSC e do Solidariedade, que o viam como aposta mais plausível compor a chapa de ACM Neto.

O pré-candidato ao Governo da Bahia evitou comentar sobre possíveis rupturas com José Ronaldo. Questionado, ele se limitou a dizer aos jornalistas que fizessem a pergunta diretamente a ele.



Política LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

Charge do Borega

As mais lidas hoje