Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 03 de maro de 2024

Política

PF encontra mensagens que mostram adesão de generais a plano golpista de Bolsonaro

08 de Fevereiro de 2024 | 15h 58
PF encontra mensagens que mostram adesão de generais a plano golpista de Bolsonaro
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Polícia Federal descobriu uma série de mensagens nos dispositivos móveis do tenente-coronel Mauro Cid e de outros investigados, revelando que pelo menos seis oficiais-generais das Forças Armadas discutiram com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) a elaboração de um decreto golpista contra a eleição de Lula (PT).


De acordo com informações da Folha de S. Paulo, essas mensagens foram utilizadas como evidência pela PF para solicitar ao STF (Supremo Tribunal Federal) a realização da operação ocorrida nesta quinta-feira (8), que teve como alvo aliados de Bolsonaro e militares.


Os oficiais-generais mencionados incluem o general Braga Netto (candidato a vice-presidente de Bolsonaro), general Estevam Theophilo (ex-chefe do Comando de Operações Terrestres), general Freire Gomes (ex-comandante do Exército), general Paulo Sérgio Nogueira (ex-ministro da Defesa) e almirante Almir Garnier (ex-comandante da Marinha).


Segundo a PF, os comandantes das Forças Armadas, com exceção do brigadeiro Baptista Júnior, da Aeronáutica, participaram de uma reunião na qual foi apresentada a minuta de um decreto golpista elaborado pelo ex-assessor da Presidência Filipe Martins. O então ministro da Defesa também esteve presente no encontro.


A versão apresentada aos chefes militares já havia passado por modificações. A Procuradoria-Geral da República (PGR) afirmou que "Jair Bolsonaro teria lido e solicitado que Filipe alterasse as ordens contidas na minuta", durante a análise dos pedidos de buscas e prisões feitos pela PF.


Conforme reportagem da Folha, o comandante do Exército informou a generais próximos sobre os apelos golpistas feitos por Bolsonaro e pelo entorno do ex-presidente. No entanto, Freire Gomes alertava que o Alto Comando do Exército já havia decidido não apoiar planos contra o resultado eleitoral.


O general Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, alvo da operação desta quinta-feira, foi chefe do Comando de Operações Terrestres do Exército até 1º de dezembro de 2023, quando realizou uma cerimônia para entrar na reserva remunerada da Força.

 

 

  



Política LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

Charge do Borega

As mais lidas hoje