Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quarta, 28 de julho de 2021

Câmara Municipal

Vereador Jhonatas Monteiro propõe instauração de mais uma CPI na Câmara; alvo seria o transporte coletivo

12 de Maio de 2021 | 13h 59
Vereador Jhonatas Monteiro propõe instauração de mais uma CPI na Câmara; alvo seria o transporte coletivo
Foto: Ascom/Câmara Municipal

O vereador Jhonatas Monteiro (PSOL) propôs a instauração de mais uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), na Câmara Municipal de Feira de Santana, durante a sessão ordinária desta quarta-feira (12). A CPI teria por finalidade investigar a situação do transporte coletivo na cidade. De acordo com o vereador, a situação caótica do setor é vivida, forçosamente, pela população, há alguns anos.

O parlamentar classificou a situação do sistema de transporte feirense como "mafioso". "Iniciamos este trabalho no Legislativo tratando sobre o transporte coletivo em Feira. Os primeiros requerimentos tiveram como tema o cenário caótico vivido recentemente, que não é apenas por conta da pandemia do coronavírus, pois o sistema de transtorno, como é chamado, é vivido pela população há muitos anos. O melhor remédio é uma nova CPI nesta Casa, para que trate da situação mafiosa do transporte público feirense", disse. 

Jhonatas Monteiro apontou, ainda, que o cenário do transporte público é pior na pandemia, por conta da superlotação nos ônibus. "Esse problema não foi resolvido, apesar de todos os apelos, proposições e requerimentos. O governo municipal continua deixando a situação correr solta, e permitindo que o sistema de transporte coletivo seja um vetor de contaminação da Covid-19 no município, sem levar nada do que foi discutido em consideração", acusou.

O vereador disse que o cenário, já considerado ruim, vivencia a possibilidade de uma greve por tempo indeterminado. O anúncio foi feito pelo Sindicato dos Rodoviários, nesta terça-feira (11). A possível paralisação pode ocorrer a partir da próxima sexta-feira (14), devido "ao atraso nos pagamentos, novamente, de modo injustificado, pelas empresas concessionárias". 

REPRESENTAÇÃO DA OPOSIÇÃO - Uma ação sobre o caos no transporte público foi aberta, pelos vereadores de oposição, no Ministério Público Estadual, há cerca de dois meses. E, segundo Jhonatas Monteiro, foi acolhida pela instituição, tornando-se um procedimento. "Na terça da semana passada, tivemos uma reunião com a promotoria em operação no município, e as providências estão sendo tomadas nesse sentido", disse.

Conforme o edil, uma primeira razão para a representação no MPE é a auditoria contratada em 2018, com seis meses de prazo, a R$ 797 mil. Ele afirmou que, até hoje, os resultados sequer foram apresentados. "Uma das determinações deste procedimento, que o governo municipal vai ter que cumprir, é mostrar os resultados das etapas do que foi feito e do que não foi feito nessa dita auditoria", destacou.

Jhonatas Monteiro garantiu que seguirá cobrando. "Se o governo acha que vai correr solto e não será tomada providência alguma, está enganado. Se o prefeito Colbert Martins Filho acha que pode deixar do jeito que está e que vai deixar a sua irresponsabilidade ir mais longe, e que não vai ter remédio, ele está enganado. Não esqueça que essa Casa vai cumprir o seu papel e tomar as providências necessárias", advertiu.



Câmara Municipal LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje