Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, segunda, 10 de agosto de 2020

Economia

Preço de remédios passa por reajuste, mas subirá menos que inflação

28 de fevereiro de 2015 | 10h 42
Preço de remédios passa por reajuste, mas subirá menos que inflação
O Ministério da Saúde (MS) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciaram, na sexta-feira (27), mudanças no cálculo do reajuste de preços dos medicamentos em todo o país. A definição dos novos critérios serve para adequar o índice à realidade do mercado. 
 
A expectativa é que o percentual médio de reajuste fique abaixo da inflação; que o índice seja menor em relação ao que seria calculado com a regra anterior e que mais medicamentos tenham reajuste menor. Cada um dos três fatores que compõem a fórmula  terá uma data fixa para ser divulgado.
 
De acordo com o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do MS, Jarbas Barbosa, os três fatores passam a ser definidos conforme a concorrência dos grupos de mercado, classificados como não concentrados, moderadamente concentrados e altamente concentrados.
 
“Com isso, buscamos dar maior previsibilidade, racionalidade, transparência e segurança”, explicou. Do total, 21,57% dos medicamentos terão o maior reajuste, enquanto a maioria  (51,73%) vai sofrer o menor índice de reajuste.

FONTE: Correio



Economia LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje