Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 09 de agosto de 2020

Economia

Caminhoneiros querem resposta de Dilma em Feira

24 de fevereiro de 2015 | 23h 17

Manifestantes dizem que esperam que a presidente anuncie alguma medida nesta quarta, quando estará na cidade

Caminhoneiros querem resposta de Dilma em Feira
Os caminhoneiros negociaram com a Polícia Rodoviária Federal a liberação de parte da pista (foto Sílvio Tito)
Caminhoneiros querem resposta de Dilma em Feira
Caminhoneiros querem resposta de Dilma em Feira
Caminhoneiros querem resposta de Dilma em Feira

 

Caminhoneiros realizaram uma manifestação na manhã desta terça-feira (24), em Feira de Santana, contra o preço dos combustíveis e os valores baixos dos fretes. Eles interditaram os dois sentidos do km 420 da BR-116 Norte, próximo à passarela do bairro Cidade Nova, e momentos depois liberaram, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), parte dos sentidos das pistas para a passagem de automóveis e ônibus.
 
O caminhoneiro Darlan Júnior reclamou do preço dos combustíveis e disse que ele e os colegas vão esperar uma resposta da presidente Dilma, que estará em Feira de Santana nesta quarta (25).
 
“Sem caminhão o Brasil para. Queremos mostrar isso para a presidente e amanhã vamos aguardar uma resposta dela aqui. O preço do frete abaixou e o preço do óleo diesel aumentou. Estamos reivindicando a redução do preço. Não tem condições nenhuma de a gente trabalhar assim”, desabafou em entrevista ao Acorda Cidade.
 
O policial rodoviário federal, Pedro de Jesus, informou ao Acorda Cidade que a liberação da pista foi negociada com os caminhoneiros e que foi determinada a retirada dos pneus que estavam sendo queimados na rodovia.
 
“O princípio básico da PRF durante a manifestação é tentar contornar a situação da melhor forma possível, e de maneira pacífica para garantir o direito de ir e vir das pessoas. De forma alguma aceitamos a queima de pneus. A manifestação deles é pacífica e estamos os orientando para que continue desta forma, sem atrapalhar o cotidiano das outras pessoas”, disse o PRF informando que os caminhoneiros vão passando pelas rodovias e, em determinados momentos, param e fecham a pista para realizar o protesto. O mesmo está acontecendo em várias partes do país.
 
De acordo com o último balanço da PRF, divulgado ontem (23) à noite, motoristas enfrentam dificuldades para atravessar 64 pontos de 23 rodovias federais em seis estados. Os estados mais prejudicados são Rio Grande do Sul, com 23 pontos interditados, Santa Catarina, com 15 trechos bloqueados, e Paraná, com dez bloqueios. As rodovias de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais também têm pontos bloqueados.

FONTE: Acorda Cidade



Economia LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje