Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quinta, 18 de julho de 2019

Geral

Frota aumentará se for preciso, diz secretário de Transportes

Glauco Wanderley - 21 de fevereiro de 2015 | 08h 28
Frota aumentará se for preciso, diz secretário de Transportes
LEIA TAMBÉM
 
Passagem pode subir três vezes em 2015
Dez anos depois, 24 ônibus a mais
Castigo para quem fizer pagamento em dinheiro
As linhas que terão um único veículo

 

O major Ebenezer Tuy, que dirige a secretaria de Transportes, avalia que a frota a ser implantada com a nova licitação é bem maior do que a existente de fato rodando nas ruas de Feira de Santana hoje. E garante que se for detectada necessidade de ampliação, isto será feito.

Como prestar um serviço de boa qualidade com um terço das linhas tendo um único veículo na frota, conforme está previsto no edital do transporte coletivo? Isto não vai causar uma espera longa demais nos pontos, contribuindo para que o usuário busque a alternativa do transporte clandestino?

Foi realizado estudo técnico e minucioso das linhas com o propósito de melhorar a eficiência e eficácia do serviço de transporte. Contudo, está previsto no edital que caberá ao órgão gestor (SMTT), redimensionar a operacionalização do serviço de transporte coletivo, através de novas ordens de serviço. Pode ocorrer equívoco, mas a SMTT estará fazendo todos os ajustes necessários. 

 

A concessão de 2005 previa a existência de 224 ônibus no sistema. A do próximo dia 16 de março, 10 anos depois, tendo a cidade 85 mil moradores a mais, prevê 248 veículos. O governo considera que o número de ônibus previsto é suficiente?

Faz-se, necessário fazer uma distinção referente a frota patrimonial e  frota operacional. Atualmente a frota patrimonial das duas empresas, corresponde a 224 veículos.Contudo, a frota operacional em circulação por dia representa a quantidade de 193 veículos.

Ademais, consta no edital, que a frota inicial operacional em circulação será feita com 248 veículos em circulação prestando o serviço do transporte coletivo. Quando concluir as obras do BRT, teremos um incremento de 20 ônibus articulados no trajeto do BRT. Ao iniciar o serviço do BRT, a frota operacional passa a ser de 268 veículos circulando. E a frota patrimonial será de 292 veículos, sendo suficiente para realizar um serviço com qualidade.

 

A frota de Feira é pouco mais da metade de outras cidades brasileiras do mesmo porte. Por que não exigir um número maior de ônibus no edital, para eliminar esta disparidade?

Como disse antes, teremos inicialmente 248 ônibus circulando, diferente da realidade atual, quando somente circulam diariamente 193.

 

As empresas vão participar de um edital que prevê passagem inicial de R$ 2,85. Portanto, para que seja cumprido este valor, teremos um novo aumento no início da operação das novas concessionárias. A data base do reajuste prevista no edital é dezembro. Será o terceiro reajuste do ano de 2015. Esta inflação da tarifa não vai afastar o usuário dos coletivos?

Este valor de R$ 2,85 realmente está previsto no edital. Contudo, a execução somente vai acontecer com a operacionalização do BRT.Vale ressaltar que o aumento tarifário está ligado diretamente ao aumento dos custos fixos e custos variáveis. A exemplo do aumento dos preços dos combustíveis, peças, aumento do salário, etc. Tudo relacionado com a inflação. Ocorrendo o aumento dos custos fixos e sendo o serviço prestado conforme previsto no edital, a tarifa poderá sofrer reajustes, para evitar um desequilíbrio econômico financeiro. 

 

A prefeitura está segura da legalidade da proposta de cobrar no mínimo 10% a mais para quem pagar em dinheiro a passagem de ônibus?

Entendemos que existe legalidade no ato. O município, embasado em parâmetros legais, pode adotar o sistema de cobrança da passagem. O sistema será de bilhetagem eletrônica. Existe uma vantagem muito grande, pois evita-se a circulação de dinheiro no ônibus. Conseqüentemente se previnem os assaltos e teremos agilidade na prestação do serviço. Inclusive consta no edital a integração temporal, onde a pessoa poderá descer em qualquer ponto da cidade e, se durante o período de uma hora entrar em qualquer ônibus, não pagará outra passagem, pois através do cartão eletrônico o sistema vai identificar. Caso a pessoa não venha a ter o cartão, ela assume o ônus.



Geral LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje