Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 03 de maro de 2024

Política

Lula indica Flávio Dino para o STF e Paulo Gonet para a PGR

27 de Novembro de 2023 | 18h 25
Lula indica Flávio Dino para o STF e Paulo Gonet para a PGR
Foto: Divulgação/Agência Senado e TSE

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), indicou nesta segunda-feira (27) o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB), para o Supremo Tribunal Federal (STF), e o subprocurador-geral da República, Paulo Gonet, para a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Dino substituirá a ministra Rosa Weber, que se aposentou em outubro. Gonet, por sua vez, assumirá o lugar de Augusto Aras, que também se aposentará em novembro.

As indicações foram encaminhadas ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), que deverá pautar as sabatinas dos indicados nas comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE).

Dino, o favorito

Dino era considerado o favorito para o posto de ministro do STF desde outubro, quando Rosa Weber se aposentou. Ele é um jurista respeitado e tem experiência política, tendo sido governador do Maranhão por dois mandatos.

Além disso, Dino é filiado ao PSB, partido de Lula. Isso significa que ele teria a simpatia do governo para ser aprovado no Senado.

Oposição tenta manchar a imagem de Dino

A oposição tentou manchar a imagem de Dino após o vazamento de informações de que o prédio da pasta foi visitado pela “Dama do Tráfico do Amazonas”, Luciane Barbosa. Dino, inclusive, se tornou alvo de um pedido de impeachment da oposição.

No entanto, as acusações contra Dino não se sustentaram e ele foi absolvido pela Câmara dos Deputados.

O que esperar de Dino no STF?

Dino é um jurista progressista e tem uma visão crítica da atuação do STF nos últimos anos. Ele é favorável à ampliação dos direitos sociais e à defesa da democracia.

Especialistas acreditam que Dino pode ser um magistrado influente no STF, com potencial para mudar o equilíbrio de forças na Corte. 


  



Política LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

Charge do Borega

As mais lidas hoje