Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, tera, 28 de novembro de 2023

Câmara Municipal

Vereador de FSA aciona Hospital da Mulher contra médico que atendeu paciente de peruca, após caso de homofobia

07 de Junho de 2023 | 10h 23
Vereador de FSA aciona Hospital da Mulher contra médico que atendeu paciente de peruca, após caso de homofobia
Foto: Reprodução

Filiado ao partido Movimento Democrático Brasileiro (MDB), o vereador Edvaldo Lima (MDB), que atua na Câmara Municipal de Feira de Santana, instou o diretor do Hospital Inácia Pinto dos Santos (Hips), o Hospital da Mulher, a dar explicações sobre o caso do médico que atendeu uma gestante usando peruca e maquiagem, após a mulher proferir palavras homofóbicas contra outro profissional da unidade.  

Em discurso na tribuna da Casa da Cidadania, nesta terça-feira (6), o político acusou o médico de agir contra a ética. "A paciente não se sentiu segura e outro médico a atendeu da maneira que foi divulgada nas redes sociais. Isso vai contra a ética médica e é necessário respeitar o paciente", escreveu o parlamentar, em uma rede social.

O incidente ocorreu no último domingo (4), após a paciente afirmar que "odiava ser atendida por homossexual". A mulher se referia ao ginecologista e obstetra Phelipe Balbi Martins. Indignado com a situação vivenciada pelo colega, o médico Carlos Vinícius Lino decidiu finalizar a consulta da gestante trajado de mulher.

Conforme o g1 BA, o requerimento de Edvaldo Lima foi protocolado ontem, na Câmara Municipal de Feira de Santana. O vereador alegou que é pacientes têm direito de pedir para não ser atendido por determinado profissional. E comparou a situação à sua própria preferência, de ser atendido por profissionais do sexo masculino. "Eu só vou ao médico masculino, mas entendo que há pessoas que preferem ser atendidas por mulheres. Entendo que é um direito sagrado do cidadão", argumentou, na postagem.

O parlamentar afirmou, ainda, que a situação causou constrangimento na paciente. Disse, também, que é preciso respeitar as orientações sexuais, mas "não se pode colocá-las 'goela abaixo' na vida dos outros".

A Câmara Municipal informou que o pedido do edil será votado nos próximos dias e que, caso aprovado, o diretor da unidade de saúde onde o caso aconteceu deverá comparecer à sede do Legislativo, a fim de prestar esclarecimentos.



Câmara Municipal LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

Charge do Borega

As mais lidas hoje