Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, segunda, 27 de janeiro de 2020

Política

Prefeito discursa no rádio em favor do BRT

Glauco Wanderley - 20 de julho de 2015 | 10h 18

Ronaldo rebateu argumentos apresentados pela Defensoria Pública

Prefeito discursa no rádio em favor do BRT
O prefeito José Ronaldo falou na manhã de hoje no programa Acorda Cidade, fazendo uma ampla defesa do projeto do BRT, cujas obras estão suspensas pela justiça, em função de uma liminar solicitada em processo movido pela Defensoria Pública do Estado.
 
Ronaldo falou em tom de discurso, durante 40 minutos, quase sem interrupções.
 
Ele opinou que faltou diálogo da Defensoria, para ouvir as razões do município. Um argumento que tinha surgido já na semana passada, quando a prefeitura divulgou nota pública, após a decisão judicial. Criticou, por exemplo, o fato de nenhum defensor ter comparecido às audiências públicas que o município promoveu em dezembro.
 
O governo sustenta que não há razão para impedir a execução do BRT em função da falta de um plano diretor atualizado.
 
Para defender esse ponto de vista, Ronaldo deu exemplo de obras na própria cidade e em Salvador. Lembrou que em Feira foi construída a avenida Noide Cerqueira, duplicada parte do Contorno e construídos viadutos, sem que a questão do plano diretor fosse um impedimento.
 
Do mesmo modo, em Salvador está em construção o metrô na avenida Paralela e há projeto de BRT em andamento, assim como também foram feita diversas intervenções viárias pelo estado, como na Rótula do Abacaxi.
 
ENDIVIDAMENTO
 
Na entrevista, o prefeito citou ainda os comentários feitos na coletiva de imprensa concedida pelos defensores públicos sexta-feira, quando o defensor Maurício Moitinho declarou que o custo da obra, estimada em R$ 100 milhões, com um empréstimo a ser pago em 20 anos, pesaria no orçamento municipal, de R$ 1 bilhão.
 
"Claro que não", enfatizou Ronaldo. "O Tesouro Nacional é quem aprova o empréstimo. São as maiores autoridades do Brasil para análise de contas. Só tomam esse empréstimo prefeituras organizadas e modéstia à parte a prefeitura de Feira é. Pagar em vinte anos um empréstimo de R$ 90 milhões, quando se tem um orçamento [anual] superior a um bilhão e diz que isso compromete as finanças da prefeitura? Com certeza absoluta não houve uma análise mais cuidadosa disso", criticou Ronaldo.


Política LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje