Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sexta, 17 de setembro de 2021

Política

Ciro Nogueira toma posse como ministro da Casa Civil; senador e presidente defendem aproximação com o Congresso

05 de Agosto de 2021 | 08h 49
Ouvir a matéria:
Ciro Nogueira toma posse como ministro da Casa Civil; senador e presidente defendem aproximação com o Congresso
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Durante a cerimônia de posse de Ciro Nogueira (PP-PI) como ministro-chefe da Casa Civil, nesta quinta-feira (4), predominou a ideia de aproximação estratégica com o Congresso Nacional. Tanto o senador quanto o presidente Jair Bolsonaro defenderam que os dois poderes precisam estreitar ainda mais os laços.

Conforme a Agência Brasil, Bolsonaro ressaltou que a chegada do novo integrante do primeiro escalão do governo reflete exatamente este desejo. Em seu discurso, ele chegou a afirmar que Governo Federal e congressistas constituem um só poder. "A chegada do Ciro Nogueira é uma demonstração de que queremos cada vez mais aprofundar o relacionamento com o Parlamento. E não é a primeira vez que eu digo que Legislativo e Executivo são um só poder. Quase tudo que viermos a discutir aqui passa por lá. E o Parlamento também. Muitos projetos que nascem lá dependem do governo para sua implementação", observou.

O chefe do Executivo nacional disse, ainda, que a relação entre seu governo e o Congresso, "salvo alguns senões", é extremamente pacífica. "O Brasil, como um todo, vai ganhar com a sua presença aqui, nos articulando com o Parlamento brasileiro", disse Bolsonaro ao novo ministro.

A presença de Ciro Nogueira na Casa Civil tem o objetivo, portanto, de, uma vez reforçada a articulação do Planalto com deputados e senadores, tentar emplacar a aprovação de pautas governistas no Congresso. Isto porque, responsável pela coordenação entre os ministérios, a Casa Civil é tida como o coração do governo. Sendo assim, é uma pasta fundamental para a articulação política do Palácio do Planalto.

No discurso de posse, diz a Agência Brasil, Ciro Nogueira afirmou que "teria sido mais fácil" recusar o convite, "mas não teria sido mais certo". Ele defendeu a democracia como diretriz e garantiu que sua pretensão é zelar por ela. "Vamos ajudar o Brasil a dar sinais certos para onde estamos indo. O primeiro deles, e não tenha a menor dúvida, a democracia é líquida e certa. E é por ela que eu estou aqui. Para cuidarmos dela, zelarmos por ela", assegurou.

O senador salientou, também, que conduzir o Brasil às eleições do próximo ano que faz parte de seu dever como ministro. "Temos, agora, até o final do atual governo, um período que conduzirá às eleições de 2022. E é nosso dever preparar o país para chegar às eleições da forma certa, com a economia no prumo certo, com a política ajustada da maneira certa, com a vacinação garantida e certa para todos os brasileiros", declarou.



Política LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje