Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 07 de março de 2021

Saúde

Anvisa aprova pedido de uso de 4,8 milhões de novas doses da CoronaVac

22 de janeiro de 2021 | 19h 15
Anvisa aprova pedido de uso de 4,8 milhões de novas doses da CoronaVac
Foto: Isaac Fontana/Framephoto/Estadão Conteúdo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou,  por unanimidade, nesta sexta-feira (22), um novo pedido de uso emergencial de 4,8 milhões de doses do imunizante CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac. O órgão liberou as novas doses do fármaco em atendimento a uma solicitação do Instituto Butantan, parceiro da farmacêutica chinesa, que produzirá a vacina no Brasil.

De acordo com o portal de notícias R7, esse segundo pedido trata do envase, pelo próprio Butantan, em frasco-ampola multidose. Ou seja, as duas principais diferenças são o local de envase da vacina e o tipo de embalagem que será utilizada. A solicitação também se estende aos 46 milhões de doses já acordados com o Ministério da Saúde, sem necessidade de realização de um novo pedido.

O centro de pesquisa já havia recebido 6 milhões de doses, usados para dar início ao Plano Nacional de Imunização, na última segunda-feira (18). O novo pedido foi feito na mesma data, um dia após a aprovação, por unanimidade, do pedido de uso emergencial das doses da CoronaVac que já estavam em território nacional e dos 2 milhões de doses da vacina de Oxford, que chegaram, nesta sexta-feira (22), da Índia. Os dois fármacos foram primeiros imunizantes contra a Covid-19 aprovados para uso no país.

Conforme o R7, os documentos apresentados pelo Butantan, cerca de 933 páginas, dessa vez, foram analisados por duas áreas técnicas da Anvisa: área de eficácia, segurança e qualidade da vacina e a área de inspeção e fiscalização. Não foi preciso fazer a avaliação de gerenciamento de riscos, pois ela já havia ocorrido no domingo (17).

A decisão, diz o site, será publicada no portal da Anvisa e passa a valer a partir do momento em que o laboratório for comunicado oficialmente. Isso deve ocorrer no prazo de duas horas após a reunião, de acordo com o órgão.

De acordo com o Butantan, as vacinas serão entregues ao Ministério da Saúde já na próxima semana. A aprovação do segundo pedido foi concedida quatro dias após a solicitação. A primeira levou nove dias. O fato de um volume maior de documentos já ter sido revisado para a primeira autorização facilitou a segunda liberação. “Muitos documentos, estudos e dados são comuns aos dois pedidos”, explicou a Anvisa.



Saúde LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje