Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sexta, 22 de janeiro de 2021

Política

Bolsonaro diz que quer povo armado; presidente entende porte de arma como garantia de liberdade

13 de janeiro de 2021 | 15h 50
Bolsonaro diz que quer povo armado; presidente entende porte de arma como garantia de liberdade
Foto: Aílton de Freitas

Em meio a pedidos de apoio para o candidato do governo à presidência da Câmara dos Deputados, cujo pleito será realizado em fevereiro, o presidente Jair Bolsonaro disse que pretende avançar com a pauta armamentista. Em uma fala claramente confusa acerca da relação entre cidadania, liberdade e segurança, Bolsonaro afirmou, aos seus apoiadores, na saída do Palácio da Alvorada, nessa terça-feira (12), que quer “cidadãos de bem” armados.

O presidente entende o porte de armas como uma garantia de liberdade. Por isso, vem afirmando, reiteradas vezes, que quer seguir destravando a questão das armas no Brasil. “Quero que vocês cidadãos de bem tenham armas, porque a arma é uma liberdade para vocês, é a garantia que você, dentro de casa, vai dar o direito da sua família ser protegida”, relacionou, enfatizando que, em 2020, o país vendeu “quase o dobro de armas que em 2019, armas legais”.

PUBLICIDADE – Jair Bolsonaro também acusou os partidos de oposição, como o PT, o PCdoB e o PSOL, de travarem a pauta armamentista no Congresso, nos últimos dois anos. E cobrou apoio ao candidato do governo, Arthur Lira (PP-AL), na disputa da presidência da Câmara, a fim de evitar que pautas prioritárias do Executivo permaneçam paralisadas. “A gente quer que as questões sejam votadas e não sejam travadas, porque quem faz a pauta são presidente da Câmara e do Senado e se não bota em votação, não tem como a gente buscar soluções para muita coisa”, afirmou.

O chefe do Estado Brasileiro disse ainda que “povo armado é povo que não será escravizado” e que “isso passa pelas direções da Câmara e do Senado”. No início da semana, Bolsonaro já havia afirmado, aos seus simpatizantes, que, dependendo de quem ganhe a disputa presidencial na Câmara dos Deputados, um Projeto de Lei do Executivo que amplia o porte de armas poderá ser colocado em votação, no plenário, mas não deu maiores detalhes.

O presidente enfatizou que há três decretos relativos ao porte de armas por colecionadores, atiradores esportivos e caçadores (CACs) prestes a serem publicados, pela Presidência.



Política LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje