Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 17 de janeiro de 2021

Segurança

Taxista envolvido em chacina na praia de Jaguaribe tem prisão preventiva decretada

10 de janeiro de 2021 | 13h 54
 Taxista envolvido em chacina na praia de Jaguaribe tem prisão preventiva decretada
Foto: Julio Cesar/TV Bahia

O taxista responsável por transportar os dois responsáveis pela morte de três pessoas na praia de Jaguaribe, em Salvador, na última terça-feira (5), teve a prisão preventiva decretada, pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), após audiência de custódia, realizada neste sábado (9).

De acordo com o G1, a decisão foi tomada após solicitação do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O mesmo ocorreu com os dois motociclistas indiciados por passar, aos atiradores, informações sobre a ocorrência de blitz na região e sobre a presença do alvo principal na praia, no dia do crime.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) confirmou que o taxista foi preso na Avenida Vasco da Gama e que confessou ter conduzido Felipe Fiúza e Caio Fiúza até a praia de Jaguaribe. O motorista também falou que buscou os atiradores no bairro de Itapuã. Segundo o G1, ele já responde a outros cinco inquéritos, por receptação de veículos roubados. E admitiu que recebeu R$ 100 para executar o serviço contratado pelos acusados.

O delegado José Bezerra, responsável pelo caso, pediu à população que colabore com a investigação. Ele disse que as pessoas que tiverem informações sobre os atiradores, os envolvidos e o crime podem entrar em contato com o serviço de inteligência da DHPP. Denúncias anônimas podem ser realizadas pelos seguintes telefones: (71) 3235-0000 (Salvador e Região Metropolitana) e 181 (cidades do interior).

O CRIME – Conforme o G1, dois homens armados desceram até a faixa de areia da orla de Jaguaribe e atiraram contra um grupo de pessoas que estava no local. Apenas uma vítima era alvo do ataque, mas, na ação, outras pessoas, em pânico, correram e acabaram baleadas. Os atiradores queriam executar o homem identificado como Lucas Santos de Souza, de 27 anos, que morreu no local.

Os disparos, entretanto, também tiraram a vida da estudante Juliana Celina da Santana Silva Alcântara, de 20 anos. Segundo o site Correio, ela estava na areia, perto de onde se encontrava Lucas de Souza, e não teve tempo de reagir ao ataque. A estudante, que era aluna do curso de Biomedicina da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, acabou morrendo sentada em uma cadeira de praia, com um tiro na cabeça.

Juliana Alcântara tinha ido à praia com a mãe, Elenilce Alcântara, que também acabou sendo baleada, de raspão, na perna. Atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itapuã, ela foi examinada e, em seguida, recebeu alta médica.

Outras duas pessoas feridas pelos disparos foram socorridas na mesma unidade de saúde. Uma delas é André Luiz Cunha dos Santos, amigo do alvo dos criminosos. Ele não teve a idade divulgada. Após receber atendimento de urgência, foi transferido para o Hospital Geral do Estado (HGE). Conforme o G1, não há informações sobre o atual estado de saúde dele.

O adolescente Igor Oliveira Lima Filho, de 17 anos, entretanto, não teve a mesma sorte, de escapar com vida. Vítima de bala perdida, ele não resistiu aos ferimentos e morreu enquanto recebia os primeiros socorros, na UPA.

De acordo com o G1, o corpo de Juliana Alcântara foi sepultado no Cemitério Campo Santo, no bairro da Federação, em Salvador, na tarde da última quarta-feira (6). O corpo de Igor Filho foi enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas, no início da mesma tarde.



Segurança LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje