Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quarta, 25 de novembro de 2020

Política

Um dos nove mais votados e não reeleito, Lulinha defende mudanças na legislação

20 de novembro de 2020 | 10h 32
Um dos nove mais votados e não reeleito, Lulinha defende mudanças na legislação

Mesmo tendo obtido quase 4 mil sufrágios (foram 3.920), representando a 9ª maior votação entre os mais de 600 candidatos, o vereador Lulinha (DEM) não conquistou a reeleição para a próxima legislatura, no período 2021-2024, que se inicia em 1º de janeiro.

Em pronunciamento na Câmara, nesta quarta-feira, 18, ele  disse que o fim das coligações partidárias para a eleição proporcional traz um prejuízo a candidatos bem votados, como foi o seu caso neste último pleito. Faz um apelo a deputados e senadores para que sejam revistos os critérios.

“Não perdi a eleição por falta de votos, mas porque o meu partido, sozinho, não conseguiu obter uma quantidade  de votos para eleger mais vereadores”. Defende que sejam eleitos os os mais votados, independente de quais partidos representem os candidatos.

Aprovada em 2017 pelo Congresso Nacional, a emenda que veda as coligações partidárias nas eleições proporcionais determina que os candidatos a vereador concorram pela própria legenda e não como membros de uma aliança. Desta forma, não é mais possível fazer a transferências de votos de um partido para outro. "Acho que é uma experiência que não deu certo", opina Lulinha, para quem a reforma eleitoral é prejudicial principalmente aos vereadores que tem  mandato e lutam para mantê-lo por mais uma legislatura.

No caso de Feira de Santana, a renovação atingiu cerca de 70% dos vereadores - apenas oito lograram êxito em sua tentativa de reeleição.

FONTE: Ascom - Câmara Municipal



Política LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje