Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 09 de agosto de 2020

Política

Tom diz que Ronaldo pediu tempo para tratar com ele sobre Colbert, mas nada disse: "vou seguir minha vida"

30 de julho de 2020 | 15h 54
Tom diz que Ronaldo pediu tempo para tratar com ele sobre Colbert, mas nada disse:
Foto: Reprodução - ALBA
José Ronaldo (DEM) teria pedido tempo, até a última segunta-feira, ao deputado feirense Tom (PSL), para que este se manifestasse sobre insatisfações políticas com o prefeito e candidato à reeleição, Colbert Martins Filho (MDB). Como o ex-prefeito não lhe dissera nada, até o dia combinado, o pastor evangélico decidiu abrir, como se diz na linguagem futebolística, a sua caixa de ferramentas.
 
A notícia de bastidores foi revelada por Tom em entrevista ao radialista Dilton Coutinho, do programa Acorda Cidade, nesta quinta. Não se sabe o que Ronaldo apresentaria ao deputado, até porque ele acabou não cumprindo a promessa de uma nova conversa. 
 
"Falei com Ronaldo que estou muito chateado. Me pediu para esperar até segunda-feira, que já passou e até agora ninguém me ligou. Então vou seguir minha vida", disse Tom esta manhã. Seguir a vida não significaria exatamente uma candidatura dele a prefeito. Esta é uma possibilidade bastante remota, em vista de que o seu partido, PSL, deverá marchar com a deputada federal Dayane Pimentel.
 
O que quer que imaginasse o ex-prefeito, capaz de apaziguar os ânimos entre o deputado e Colbert Filho, acabou por não concretizar. Sem a ação de bombeiro do ex-prefeito, Tom partiu para o ringue. Chamou Colbert, que topou de pronto.
 
O pastor reafirmou crítica que havia feito dias atrás sobre a forma como Colbert preencheu duas vagas no secretariado. Considera que o prefeito prestigiou grupos tradicionais ao nomear Sérgio Carneiro (filho do ex-governador João Durval) e Jairinho Carneiro (filho do ex-deputado Jairo Carneiro), em detrimento de sua emergente liderança. Não diz abertamente, mas não resta dúvida de que reivindica espaço no primeiro escalão.
 
Colbert respondeu dizendo que o deputado conta com aliados em sua administração. Tom admite tê-los - segundo ele, seriam remanescentes do governo José Ronaldo, nenhum colocado por Colbert. E os os colocou "à disposição" do prefeito. Pelo menos, por ora, encerra-se um ciclo, que a bem da verdade, jamais esteve aberto, a aliança Tom-Colbert. 
 
O outro deputado estadual por Feira de Santana, José de Arimateia (PRB), já havia seguido este caminho, de rompimento com Colbert Filho, por motivos absolutamente similares, embora o seu grupo político tenha sido representado no poder municipal até pouco tempo através do vereador Eli Ribeiro, que esteve secretário de Habitação. Ele reivindicava um prestígio maior.


Política LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje