Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quinta, 04 de junho de 2020

Economia

Desemprego cai a 11,2% em janeiro, mas quase 12 milhões de brasileiros ainda estão sem trabalho

28 de fevereiro de 2020 | 15h 05
Desemprego cai a 11,2% em janeiro, mas quase 12 milhões de brasileiros ainda estão sem trabalho
Foto: Reprodução
A taxa de desemprego no Brasil caiu no primeiro mês do ano, segundo dados da Pnad Contínua, divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE. O resultado do trimestre encerrado em janeiro foi de 11,2%, atingindo 11,9 milhões de pessoas. Houve queda de 0,4 ponto percentual em relação ao trimestre encerrado em outubro, que serve como base de comparação para o dado atual.
 
Instituições financeiras ouvidas pela Bloomberg projetavam uma taxa de 11,3% para o trimestre encerrado em janeiro. Um ano antes, no trimestre encerrado no mesmo mês de 2019, a taxa havia ficado em 12%.Segundo Adriana Beringuy, analista do IBGE,  a melhora no mercado de trabalho brasileiro nesse início do ano se deu por conta do aumento da inatividade, ou seja, pessoas que estão fora da força de trabalho. Trata-se de um movimento sazonal em janeiro, quando há um recuo na procura por trabalho por conta de férias coletivas e escolares.
 
São pessoas que não estão trabalhando, não estão tomando providências para conseguir uma ocupação e não querem assumir uma profissão caso surja.
 
Como essas pessoas não estão dentro da população que está em busca de uma oportunidade, ela diminuiu o peso na composição da taxa de desocupação, favorecendo a queda da taxa atual de 11,2%.
 
Nos últimos três meses, 873 mil pessoas entraram nesse grupo que não procura emprego.  Foi a maior expansão já registrada para trimestres encerrados em janeiro, segundo o IBGE.
 
— Essa interrupção na procura de trabalho foi decisiva. A inatividade cresceu mais que a própria força de trabalho e ocupação. Isso explica o movimento da taxa. É um movimento típico em janeiro, mas foi mais intenso agora — explica Adriana.


Economia LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje