Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 08 de dezembro de 2019

Saúde

Especialista explica importância de hábitos saudáveis na prevenção do Diabetes

Roberta Costa - 14 de novembro de 2019 | 14h 37
Especialista explica importância de hábitos saudáveis na prevenção do Diabetes
Nesta quinta-feira, 14, é celebrado o Dia Mundial do Diabetes, com o intuito de conscientizar a população sobre os problemas associados a doença. O mapa do diabetes no Brasil. Dados da Federação Internacional de Diabetes - IDF mostraram que em 2017, 12,5 milhões de pessoas já eram diabéticas no Brasil. Segundo a mesma estimativa da Federação, no mundo já existem 400 milhões de diabéticos.
 
A endocrinologista Ana Mayra concedeu uma entrevista ao Tribuna Feirense, explicando sobre a doença, formas de prevenção, fatores de risco e importância do acompanhamento de rotina.
 
Confira a íntegra da entrevista:
 
Tribuna Feirense: O que é o Diabetes e quais suas principais causas?
 
Ana Mayra: Diabetes é uma doença bastante heterogênea nas suas causas que apresenta elevação continuada dos níveis de glicose no sangue (glicemia) e que pode, quando não bem controlada, levar ao desenvolvimento de complicações afetando os vasos e comprometer a função dos rins, a visão, dos nervos e do coração.
Sabemos que o diabetes tem influência genética, mas temos hoje como principal causa do aumento da prevalência, do aumento dos casos do Diabetes na população, a obesidade. Esta é uma condição que precisa ser prevenida que precisa ser tratada.
 
TF: Quais são os tipos?
 
AM: Estes 3 tipos clássicos: o tipo 1, tipo 2 e o gestacional, mas sabe-se de mais de 50 tipos de diabetes. E após o diagnóstico, é extremamente importante que o profissional que está acompanhando o paciente, procure determinar o seu tipo. Cada tipo terá uma base para o seu desenvolvimento e conhecendo esta base, poderá ser realizado tratamento mais específico, mais direcionado aos fatores envolvidos no desenvolvimento da hiperglicemia, da elevação da glicemia.
Para determinarmos o tipo, utilizamos alguns dados como idade do paciente, história familiar de diabetes, peso, forma de aparecimento dos sintomas e alguns exames.
O tipo 1, tradicionalmente, acontece mais em crianças e adultos jovens e com peso dentro da normalidade e necessitam de insulina, para o seu controle. O tipo 2, mais em adultos (acima de 45 anos) com história familiar positiva e geralmente apresentam excesso de peso. O Gestacional acontece durante a gestação. Mas, existem três tipos que gostaria de mencionar, que são o LADA, o MODY e o tipo 2 em crianças. Estes precisam ser identificados o mais precocemente possível. Para tornar mais fácil o entendimento, explico que o LADA é uma espécie do tipo 1 que acontece uma pouco mais tarde (após os 25 anos) e o MODY, um tipo 2 que acontece em crianças, em jovens e o tipo 2 em crianças geralmente acontece quando há obesidade associada.
 
TF: O que é pré-diabetes?
 
AM: O diagnóstico de Diabetes é feito através do laboratório. Usamos dois exames: glicemia e a hemoglobina glicada. Então para um indivíduo ser considerado diabético deve apresentar 2 glicemias de jejum com valor maior ou igual a 126mg/dL, ou maior ou igual a 200mg/dL 120 minutos após sobrecarga com 75 gramas de glicose (teste oral de tolerância a glicose, da chamada curva glicêmica) ou hemoglobina glicada maior ou igual a 6,5%. Lembro que estes testes precisam ser confirmados, caso o paciente não apresente sintomas, mas se o paciente apresentar sintomas apenas um exame, uma glicemia, independente do horário maior ou igual a 200mg/dL já firma o diagnóstico.
Então, o pré-diabetes, uma condição que pode anunciar o desenvolvimento do diabetes e precisa ser reconhecida, para que se tente através de mudança do estilo de vida e uso as vezes de alguma medicação, se retardar ou evitar o aparecimento do diabetes propriamente dito. Esta condição também tem o seu diagnóstico no laboratório: glicemia de jejum entre 100 mg/dL e 125 mg/dL, condição anteriormente denominada “glicemia de jejum alterada”. Também: glicemia 2 h após sobrecarga com 75 g de glicose: entre 140 mg/dL e 199 mg/dL ( teste oral de tolerância à glicose ou curva glicêmica), condição anteriormente denominada “tolerância diminuída à glicose” e também através da hemoglobina glicada, entre 5,7% e 6,4%.
 
TF: Quais são os fatores de risco?
 
AM: Como falei anteriormente, a obesidade, é o maior fator de risco para o desenvolvimento e pode ser combatida. Também: genética, sedentarismo, alguns tipos de dieta. Mas gostaria de ressaltar a importância da obesidade no desenvolvimento desta condição que pelos seus números já se torna um problema de Saúde Pública.
 
TF: Quais os cuidados devemos ter com as crianças e o uso do açúcar?
 
AM: Devemos colocar nossas crianças para se movimentar. O sedentarismo tem tomado conta das nossas vidas, seja pela urbanização da população, pela violência, por falta de espaços públicos seguros que permitam atividade ao ar livre e isto realmente é fator determinante para o desenvolvimento do excesso de peso infantil. E saibam, a obesidade infantil ;é fator de risco importante para obesidade em adultos, então devemos voltar o nosso olhar para esta população. Ela será o nosso futuro!! A dieta não deve nunca ser radicalizada, devemos buscar o equilíbrio!
 
TF: A pessoa que trata o Diabetes pode ter uma vida normal?
 
AM: Com os cuidados necessários, pode sim!. Devemos aprender a conviver com a doença, não podemos negar a sua existência, pois negar é o primeiro passo para o não tratamento. Mas convive-se muito bem com a condição. 
Habitos físicos estimulados, dieta saudável... Me diga que não precisa disso?? Todos nós precisamos. Na população diabética, simplesmente reforçamos o que todos nós deveríamos seguir.
 
TF:  Qual a importância do Dia Mundial do Diabetes?
 
AM: Acredito para conversarmos sobre o assunto. Fazer o que estamos fazendo aqui. Uma oportunidade para pensarmos em como estamos lidando com esta condição, oportunidade para avaliarmos se as notas metas estão contempladas, oportunidade para revermos nossas ações como profissionais, como gestores como sociedade... Oportunidade para nos replanejarmos!!!
 
TF: O açúcar é um vilão?
 
AM: Não gosto muito de acusar vilões ou mocinhos... Gosto de exaltar o EQUILÍBRIO!!  Equilíbrio entre os nutrientes da nossa alimentação, equilíbrio nos nossos hábitos físicos, equilíbrio entre o descanso e o trabalho, equilíbrio é a palavra. Quando nós o alcançamos, nós estamos fazendo muito bem a nós mesmos.
 
TF: Quais são os cuidados que podemos ter para evitar a Diabetes?
 
AM: Tenham hábitos saudáveis! Exercitem-se!! Comam com equilíbrio!!


Saúde LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje