Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sexta, 23 de agosto de 2019

Segurança

Alexandre Nardoni e Suzane von Richthofen deixam presídio em saidinha do Dia dos Pais

08 de agosto de 2019 | 14h 38
Alexandre Nardoni e Suzane von Richthofen deixam presídio em saidinha do Dia dos Pais
Foto: Reprodução
Condenado pela morte da filha Isabella, Alexandre Nardoni deixou a P2 de Tremembé (SP) na manhã desta quinta-feira (8) para a saída temporária de Dia dos Pais. No regime semiaberto desde o fim de abril, essa é a primeira vez que Nardoni é beneficiado com a 'saidinha'.
 
O detento deixou a unidade em uma caminhonete branca com vidros escuros por volta 8h desta quinta-feira. Alexandre Nardoni entrou no veículo ainda dentro do presídio, enquanto os outros presos com o benefício saíram a pé da P2. A Mitsubishi L200 Triton está registrada no nome da empresa da família de Nardoni.
 
O número de detentos com o benefício na P2 não foi informado pela Secretaria da Administração Penitenciária (SAP). Os presos da unidade devem retornar ao presídio até a próxima quarta-feira (14) às 17h.
 
Alexandre Nardoni foi condenado a 30 anos de prisão pela morte da filha Isabella Nardoni. Ele está preso na P2 de Tremembé desde 2008. Ele obteve a progressão ao regime semiaberto em abril, após a Justiça considerar que ele tem bom comportamento na prisão. O detento pleiteava o regime mais brando desde setembro de 2018.
 
Também condenada pelo crime, a esposa de Alexandre, Anna Carolina Jatobá, está no regime semiaberto desde 2017. Nesta quinta-feira, ela deixou a Penitenciária feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier em Tremembé (SP) às 8h02. Ela deixou o local acompanhada da advogada em um carro de luxo.
 
Tanto Alexandre, quanto Anna Carolina, sempre negaram ter matado a criança, na época do crime, com cinco anos. Isabella morreu em março de 2008 após cair da janela do apartamento do pai, em São Paulo.
 
A P2 de Tremembé é conhecida por abrigar presos de casos de grande repercussão. Cristian Cravinhos, condenado pela morte dos pais de Suzane Richthofen, e Lindemberg Fernandes, que matou a então namorada Eloá, cumprem pena no local.
 
Condenada a 39 anos de prisão por matar os pais, Suzane von Richthofen deixou a P1 feminina de Tremembé por volta das 8h02 desta quinta-feira. Ao sair da prisão, uma mulher a ajudou a entrar em um carro branco, que a esperava desde 7h, para deixar o local.
 
Essa é a segunda vez que Suzane deixa a prisão no ano. A detenta chegou a ser punida com a perda de três saídas temporárias após ter sido flagrada em uma festa em Taubaté na saidinha do fim do ano passado, mas a Justiça cancelou o 'castigo' por considerar que ela não havia infringido a regra.
 
Suzane von Richthofen obteve a progressão do regime fechado para o semiaberto em outubro de 2015. A primeira saída dela aconteceu em março de 2016, beneficiada pela saída temporária de Páscoa.
 
Autorizada pela Justiça, a detenta Elize Matsunaga que poderia deixar o presídio em saída temporária pela primeira vez não havia deixado a P1 feminina até a publicação da reportagem.
 
O benefício de saída temporária de Dia dos Pais é concedido a cerca de 3 mil presos do sistema prisional no Vale do Paraíba. A saída começou na quarta-feira (7) e os presidiários devem voltar para a cadeia a partir do dia 13 de maio.
 
A maioria dos detentos liberados é do Centro de Progressão Penitenciária Edgar Magalhães Noronha (CPP - 'antigo Pemano'). Além deles, também receberão o benefício os presos da P1 e P2 masculina de Tremembé, da P1 Feminina de Tremembé, da Potim 2 e feminina de São José.
 
A saída temporária é um benefício do sistema prisional aos internos que cumprem pena em regime semiaberto.
 
O calendário das saídas temporárias é definido pela Vara de Execuções Penais de cada região. No Vale, os presos saíam, até 2018, cinco vezes ao ano – sendo na Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia das Crianças e Natal e Ano novo.


Segurança LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje