Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 21 de abril de 2019

Economia

Ford abre programa de demissão voluntária na fábrica de Camaçari

10 de abril de 2019 | 14h 56
Ford abre programa de demissão voluntária na fábrica de Camaçari
Foto: Reprodução
A Ford iniciou um programa de demissão voluntária na fábrica localizada na cidade de Camaçari, na região metropolitana de Salvador. A ação começou na segunda-feira (8) e segue até o dia 26 de abril.
 
De acordo com a empresa, a medida tem como objetivo a adequação à atual demanda de mercado.
 
Atualmente, o Complexo Ford reúne cerca de 7.400 mil empregados. Contudo, a organização não informou quantas demissões estão previstas.
 
Cerca de 90% dos empregados são de Camaçari e Dias D'Ávila, município vizinho à fábrica.
 
Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Júlio Bonfim, o trabalhador que aderir ao programa de demissão ganhará um bônus de R$ 35 mil, além das verbas rescisórias previstas na legislação: Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), multa de 40% em cima do FGTS, 13º salário proporcional, férias e o direito de dar entrada no seguro desemprego.
 
Inaugurada em outubro de 2001, a fábrica reúne sob o mesmo teto a Ford e 20 parceiros, que fornecem sistemas para os veículos diretamente na linha de montagem.
 
Na unidade, são fabricados o Ford Ka, nas versões hatch e sedan, o EcoSport e o motor 1.0 de 3 cilindros.
 
Segundo a empresa, a empresa conta com um modelo de produção inovador, chamado montagem modular sequenciada, aplicado pela primeira vez dentro da Ford Mundial.
 
O principal diferencial é a participação de fornecedores diretamente na linha de montagem e no processo de produção e não apenas no fornecimento dos componentes do veículo, compartilhando das instalações e das responsabilidades.
 
O programa de demissão voluntária na Bahia acontece cerca de 50 dias depois que a Ford anunciou o fechamento da fábrica de São Bernardo do Campo (SP). Contudo, segundo a empresa, as decisões não têm relação.
 
Com o fechamento da fábrica em São Paulo, a montadora vai parar de vender caminhões na América do Sul. De acordo com a marca, a decisão é "um importante marco no retorno à lucratividade sustentável de suas operações na América do Sul".
 
Os modelos que deixarão de ser vendidos no Brasil quando terminarem os estoques com o fim da produção em São Bernardo são: Fiesta, Cargo, F-4000 e F-350.


Economia LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje