Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 17 de outubro de 2021

Geral

Projeto piloto da Seinfra fomenta energia renovável através do lixo

25 de Maio de 2015 | 16h 45
Projeto piloto da Seinfra fomenta energia renovável através do lixo
Projeto governamental fomenta energia renovável através do resíduo sólido urbano

Restos de alimentos descartados no lixo e coletados em aterros sanitários têm destinação sustentável e podem ser fonte alternativa para geração de energia elétrica. A tecnologia para transformar matéria orgânica em eletricidade já tem sido implantada no país. Na Bahia, a Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra) deu início a um projeto piloto para minimizar a emissão de gases poluentes na atmosfera e diversificar suas matrizes energéticas, através da produção de biogás.

O lixo produzido pela população pode receber um tratamento sustentável para a produção do biogás. Este combustível pode ser gerado através da extração do metano (gás majoritário) e do dióxido de carbono, da matéria orgânica dos resíduos sólidos urbanos (RSU). Com o biogás é possível gerar energia elétrica.

Segundo a mestra em Engenharia Ambiental e especialista em resíduos sólidos, Rita de Cássia Cardoso, o aproveitamento do biogás é visto, em primeiro plano, com dois grandes ganhos: o ambiental e o econômico. “O metano, gás liberado para a atmosfera pelos lixões, é 21 vezes mais nocivo que o CO2 (dióxido de carbono). Com o tratamento adequado podemos gerar energia elétrica a partir de sua extração. Dessa forma, temos uma produção sustentável com ganho ambiental e econômico, já que a energia pode ser vendida”, afirma Rita de Cássia.

Aterro sanitário piloto

A Seinfra formou um grupo de trabalho para dar início ao projeto de geração de energia a partir de RSU. Ele consiste na criação de um aterro sanitário piloto que fará a captação e canalização do gás metano com destino final à termoelétrica, para geração de energia com foco, a princípio, nos municípios do interior do estado.

O diretor de energia da Seinfra, Celso Rodrigues, revela que será priorizada a criação do aterro sanitário piloto no interior da Bahia. “Criamos um grupo de trabalho com especialistas governamentais para dar início ao projeto. A perspectiva é que a usina gere entre um e dois megawatts de potência e possa fornecer energia para aproximadamente 15 à 30 mil residências”, revela o gestor ao se referir a uma produção diária de 260 mil toneladas de resíduos para a geração de biogás.

Na capital baiana, existe a termoelétrica Termoverde, que gera energia elétrica a partir do biogás produzido no Aterro Sanitário Metropolitano de Salvador, modelo semelhante ao processo de produção do projeto piloto a ser implantado. Três mil toneladas de resíduos são recolhidos por dia dos municípios de Salvador, Lauro de Freitas e Simões Filho. Com esta quantidade de lixo, a usina pode produzir cerca de 13 megawatts (MW) por ano. Este valor equivale ao consumo de uma cidade com aproximadamente 140 mil habitantes anualmente. O valor do investimento de instalação da Termoverde, em 2011, foi de aproximadamente R$50 milhões, com potencial de geração de energia de até 20 MW.

Parceria

Entre os órgãos envolvidos, estão a Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Sedur), o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), a Secretaria de Planejamento da Bahia (Seplan), a Secretária de Meio Ambiente (Sema) e a equipe técnica da Seinfra.

Mais ações da Seinfra

A Seinfra coordena, através da Superintendência de Energia e Comunicações (Supec), as diretrizes do setor energético e de comunicações do estado, com a finalidade de fomentar e planejar ações para a produção de energias limpas, eólica e solar, elaborar estudos sobre o setor e gerir as ligações elétricas do programa federal Luz para Todos. Também auxilia as ligações de iluminação pública em rodovias estaduais. 

FONTE: Secom.Ba



Geral LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje