Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, segunda, 21 de setembro de 2020

Economia

Energia sobe amanhã em São Paulo, Minas, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

07 de abril de 2015 | 17h 14
Energia sobe amanhã em São Paulo, Minas, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

Consumidores de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul terão as tarifas de energia reajustadas a partir de amanhã (8). Os percentuais foram aprovados hoje (7) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O reajuste tarifário da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL Paulista) será de 4,13% para os consumidores residenciais e de 5,29% para as indústrias. A distribuidora atende 4,095 milhões de unidades consumidoras em 234 municípios de São Paulo. Para a Cemig Distribuição, o reajuste tarifário será de 5,93% para os consumidores residenciais e de 8,12% para os consumidores industriais. A Cemig atende 8 milhões de unidades em 805 municípios de Minas Gerais.

Já o reajuste tarifário da Energisa Mato Grosso do Sul, que atende 942 mil unidades consumidoras em 73 municípios do estado, vai ser de 2,74% para as residências e de 3,64% para as indústrias. No caso da Energisa Mato Grosso, haverá redução de 2,22% no valor da tarifa para os consumidores residenciais e aumento de 3,42% para as indústrias. A distribuidora atende 1,2 milhão de unidades consumidoras em 141 municípios de Mato Grosso.

Segundo a Aneel, o reajuste das tarifas leva em conta a variação de custos que a empresa teve no ano. O cálculo inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incide o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) e outros custos como energia comprada, encargos de transmissão e encargos setoriais.

As tarifas dessas quatro distribuidoras já tiveram aumento no início de março, por causa da Revisão Tarifária Extraordinária aprovada pela Aneel. Os aumentos anteriores foram de 31,8% para a CPFL Paulista, de 28,8% para a Cemig, de 27,9% para a Energisa MS e de 26,8% para a Energisa MT.

 

FONTE: Agência Brasil



Economia LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje