Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, segunda, 17 de fevereiro de 2020

Geral

Porcos criados soltos em Bonfim de Feira são apreendidos

17 de março de 2015 | 16h 29

Animais nestas condições representam risco à saúde

Porcos criados soltos em Bonfim de Feira são apreendidos
16 porcos e um cavalo foram apreendidos
Atendendo a denúncias de moradores do distrito de Bonfim de Feira, a Secretaria Municipal de Saúde realizou, na manhã desta terça-feira, 17, uma ação para apreender animais de médio e grande porte criados soltos na área urbana. Ao todo foram capturados 16 porcos e um cavalo. Animais nestas condições representam risco à saúde humana e provocam sérios problemas ambientais.
 
O trabalho foi realizado em conjunto pela Vigilância Sanitária e o Centro Municipal de Controle de Zoonoses, com o apoio da Guarda Municipal e da Polícia Militar. Os animais foram levados para o CCZ e só serão liberados mediante o pagamento de multa no valor de R$ 75. O dono deve apresentar xérox de identidade e comprovante de residência.
 
A coordenadora do CCZ, Mirza Cordeiro, afirma que já foi feito um trabalho educativo com os moradores sobre os perigos em criar esses animais soltos, tanto com relação às questões ambientais quanto aos riscos de provocarem acidentes nas estradas. “Contudo, insistem em deixá-los soltos no perímetro urbano”, observa.
 
Segundo o veterinário da SMS, Erivaldo Nogueira, que também acompanhou a ação juntamente com a coordenadora da Vigilância Sanitária, Kérssia Carneiro, os animais tornam o ambiente insalubre, levando riscos principalmente para a saúde das crianças, a exemplo de infecções e problemas de pele.
 
“O grande problema é a criação sem o controle sanitário - boa parte deles também não recebe medicação - além da contaminação do ambiente público e do lençol freático por protozoários e bactérias”, diz. “Esses porcos geralmente são abatidos sem inspeção, para depois serem vendidos levando riscos à saúde de quem vai consumir a carne”, acrescenta.
 
CARCAÇAS
 
A equipe observou também a presença de carcaças expostas de animais em decomposição. “Manter matéria orgânica em decomposição é fonte de contaminação ambiental perigosa. Elas tornam o local propício para a proliferação de doenças”, alerta o veterinário.
 
Os moradores acompanharam a ação. Alguns deles, que fizeram questão em falar que adotam certos cuidados, como mantendo-os presos, concordaram com o trabalho da Secretaria Municipal de Saúde.
 
“Crio os meus porcos em uma área cercada, porque sei que eles podem transmitir doenças se ficarem soltos. A mesma atitude deveria ser tomada pelos demais moradores”, aconselha Gleide de Jesus Santos.


Geral LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje