Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sábado, 26 de setembro de 2020

Segurança

Delegado pede prisão de bandidos que invadiram casa de ex-secretário

16 de março de 2015 | 11h 10
Delegado pede prisão de bandidos que invadiram casa de ex-secretário
Bandidos invadem casa de secretário que acusa prefeito de corrupção
O delegado regional do município de Itaberaba, na Chapada Diamantina, Jean Silva Souza, concluiu o inquérito policial que investigou o assalto à mão armada, ocorrido no dia 15 de janeiro, na residência do ex-secretário de Administração do prefeito João Mascarenhas Filho (PP), Alberto Magno Almeida Leal. Na conclusão do coordenador regional da Polícia Civil, datada de 11 de março (45 dias após o crime), o delegado indiciou e pediu a prisão preventiva dos marginais Lúcio Flávio Soares Santos, Gilvan Alves dos Santos e Eduardo Ferreira Lopes, vulgos ‘Nego Lúcio’, ‘Gil Paraibano’ e Eduardo ou Van, respectivamente. 
 
Os três bandidos foram enquadrados pelos crimes de associação criminosa e roubo qualificado por emprego de armas e concurso de pessoas. “Conforme se infere dos autos, no dia 15 de janeiro de 2015, os indiciados em coautoria e armados com um revólver, calibre 38, planejaram e executaram o roubo qualificado à residência do senhor Alberto Magno Almeida Leal, fazendo reféns”, diz trecho da peça divulgada pelo delegado Jean Souza. Ele se refere à Cleidenêia de Souza Araújo, Dalva de Souza Cruz e a menor C. de S.L, que foram reféns dos bandidos durante o assalto que subtraiu papéis e documentos, que, segundo o declarante Alberto Magno Almeida Leal, “continha informações de fraudes e desvio de verbas públicas, ocorrida na gestão do prefeito João Filho”. 
 
“Ocorre que, toda execução do crime foi filmada pelo circuito externo de câmeras de segurança da residência, sendo dois autores prontamente identificados pelas vítimas, que também fizeram reconhecimentos formais”, narra ainda a peça subscrita pelo delegado regional. Apesar das evidências, o delegado deixou de indiciar o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Zenildo Nascimento Aragão, conhecido por Paraná (PHS) e o prefeito João Filho por “ausência de indícios suficientes de autoria contra os mesmos”.

FONTE: Jornal da Chapada



Segurança LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje