Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sábado, 28 de março de 2020

Geral

MPT na Escola abre inscrições para secretarias municipais de Educação

12 de março de 2015 | 13h 42

Esta é a 6ª edição do projeto “MPT na Escola: De mãos dada contra o trabalho infantil”

MPT na Escola abre inscrições para secretarias municipais de Educação
O Ministério Público do Trabalho já está convocando as secretarias municipais de Educação da Bahia interessadas em participar da edição 2015 do projeto “MPT na Escola: De mãos dada contra o trabalho infantil”. Em sua 6ª edição, a iniciativa prevê a aplicação de metodologia de ensino nas redes municipais que promove discussões com professores, coordenadores, pais e alunos sobre os prejuízos causados pelo trabalho infantil e a importância da frequência dos estudantes na escola. Em 2014, o projeto alcançou 33 municípios, 288 escolas, 2.433 educadores e 38.680 estudantes na Bahia. Este ano, só em Salvador 22 escolas vão aderir ao projeto, que durará o ano inteiro, acompanhando o ano letivo.
 
Segundo a procuradora do trabalho Rita Montovaneli, coordenadora do projeto no estado, o objetivo é levar informações sobre o trabalho infantil, não só às escolas, mas a toda a população. “Buscamos tratar a questão do trabalho infantil de forma lúdica, trabalhando junto com os pais dos alunos. Os municípios precisam se comprometer a fazer um plano de ação para levar informações às ruas”, explica. Ela destaca ainda que o MPT fornece material didático de capacitação para gestores dos municípios que aderirem à proposta.
 
O MPT na Escola também tem o objetivo de fomentar a participação de crianças e adolescentes nas ações de mobilização, conscientização e prevenção do trabalho infantil. Para isso, os alunos poderão produzir trabalhos em quatro categorias: conto, esquete teatral, música e pintura. Os melhores trabalhos literários, artísticos e culturais produzidos por estes alunos serão divulgados e premiados pelo MPT. Trata-se de um incentivo a mais para que a metodologia envolva as comunidades escolares.
 
Para fazer parte do projeto, as secretarias municipais precisam inscrever suas escolas e enviar, no máximo, cinco representantes, que irão participar de uma oficina de capacitação para desenvolvimento da metodologia. Durante o evento, eles receberão materiais para distribuição nas escolas. “A ideia dessa oficina é derrubar os mitos, dar argumentos, munir os professores e coordenadores para que estes levem aos outros professores e pais o que eles aprendem na oficina, porque a gente sabe que é uma situação cultural que a família coloque os filhos para ajudar em casa. Nós queremos derrubar essas ideias de naturalização do trabalho infantil”, conta a procuradora.
 
         A oficina acontecerá nos dias 30 e 31 de março. Para participar, a prefeitura ou secretaria de Educação do município deve enviar um e-mail informando o interesse para projeto.mptnaescola@mpt.gov.br . Depois irá receber uma ficha enviada pela coordenação do projeto e deverá reenviar com a lista das escolas e a quantidade de alunos que participarão. A adesão ao projeto é gratuita, assim como a capacitação e todo o material didático. O único custo para a prefeitura é o envio dos representantes para a oficina, que devem ser preferencialmente coordenadores pedagógicos ou professores capazes de agir posteriormente como multiplicadores da metodologia em cada município.


Geral LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje