Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sábado, 30 de maio de 2020

Bahia

Crise da Petrobras na Bahia é anterior às investigações da Lava Jato, diz sindicato

12 de março de 2015 | 11h 46
Crise da Petrobras na Bahia é anterior às investigações da Lava Jato, diz sindicato
8 empresas baianas que prestavam serviço para a Petrobras foram fechadas

Nos últimos três anos, cerca de oito empresas baianas que prestavam serviço para a Petrobras foram fechadas e 1420 empregados foram demitidos da refinaria Landulpho Alves, em São Francisco do Conde. De acordo com o Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia (Sinduscon-BA) isso acontece por conta da redução de investimento por parte da estatal, mas é anterior à investigação da Operação Lava Jato.

“Desde 2012, que a Petrobras tem reduzido os investimentos e o setor de obras indústrias tem enfrentado dificuldades. É claro que, com a Operação Lava Jato a situação se agravou, mas os problemas já ocorriam”, disse o presidente do Sinduscon-BA, Carlos Henrique de Oliveira Passos, em entrevista à Tribuna. Ainda de acordo com o sindicalista, as demissões ocorreram em um período de apenas dois anos e os problemas financeiros da empresa brasileira podem ter motivado a redução dos investimentos. 



Bahia LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje