Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quarta, 01 de abril de 2020

Saúde

UTI do Hospital da Criança bateu recorde em 2014

12 de março de 2015 | 08h 38

Em média, 17 crianças vão para a UTI a cada mês

UTI do Hospital da Criança bateu recorde em 2014
Problemas respiratórios são uma das principais causas de internação na UTI neonatal

A UTI neonatal do Hospital Estadual da Criança (HEC) admitiu 199 recém-nascidos entre1 de janeiro e 31 de dezembro de 2014. O número é o maior desde a implantação da unidade, ocorrida em outubro de 2010. Em 2010, em apenas três meses de operação, foram admitidas 28 crianças. Em 2011 foram 146. Em 2012, 141 e em 2013, 171.

O balanço foi apresentado pelo coordenador do setor, o médico Gervásio dos Santos e a enfermeira gerente Najara Matos. A UTI Neonatal do HEC/IMIP tem 10 leitos ativos destinados ao atendimento de pacientes graves ou de risco, entre zero e 28 dias de vida.

Os números de 2014 mostram que em média ocorreram 17 admissões por mês. Do total de pacientes, 60% eram do sexo masculino e 40% do sexo feminino. Em relação ao peso, 52% tinham mais de 2,5kg.

Males que requeriam cirurgias e desconfortos respiratórios foram, juntos, responsáveis por mais da metade do total de internações – 26% e 25%, respectivamente. Prematuridade foi a terceira causa responsável pelas internações na UTI Neonatal do HEC/IMIP – cerca de 19%. Ainda se enquadram nos motivos de internação os quadros clínicos (17%), as cardiopatias (7%) e os quadros infecciosos (6%).

Quanto às patologias que necessitaram de intervenção cirúrgica, destacaram-se a obstrução intestinal (23%), a gastrosquise (13%), e a hérnia diafragmática e a mielomeningocele - ambas com 11%.

A maioria (78%), após melhora clínica, foi transferida para outros setores do HEC – a exemplo da Unidade de Cuidados Intermediários, Enfermarias ou UTI Pediátrica. Apenas um paciente teve alta direta para o domicílio.

“Buscamos ofertar assistência de qualidade e integral aos recém-nascidos admitidos, com respeito ao paciente, participação da família e cuidado humanizado, bem como assistência médica e de enfermagem ininterruptas, equipamentos específicos próprios e recursos humanos especializados. Apesar das dificuldades, contamos com uma equipe multiprofissional engajada no propósito de oferecer uma assistência cada vez melhor aos nossos recém-nascidos”, afirma o neonatologista Gervásio.

Os 10 leitos da unidade são compostos por incubadora aquecida com parede dupla ou berço aquecido; monitor multiparamétrico à beira do leito (FC, saturação de O2, pulso) com monitoração 24 horas; ventilador mecânico para cada leito, bomba de seringa 2,4/leito; bomba de infusão 1,3/leito; pontos de oxigênio; ar comprimido e vácuo para cada leito; poltrona reclinável para acompanhante em cada leito; aparelho para fototerapia (Bilitron e Biliberço); eletrocardiógrafo, raio-X e ultrassom portáteis no setor, além dos materiais de uso comum.



Saúde LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje