Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, segunda, 10 de agosto de 2020

Política

Joaquim Levy deixa Ministério da Fazenda

19 de dezembro de 2015 | 08h 38

Nelson Barbosa assume cargo

Joaquim Levy deixa Ministério da Fazenda
Levy havia confirmado a saída na quinta-feira, 17, mas não tinha alguém definido para substituí-lo

Joaquim Levy anunciou oficialmente sua saída do governo na tarde desta sexta-feira, 18. O ministro Nelson Barbosa será substituído no Planejamento por Valdir Moysés para assumir o Ministério da Fazenda no lugar de Levy. O ex-ministro havia confirmado a saída na quinta-feira, 17, mas não tinha alguém definido para substituí-lo.

O embate público do ministro em torno da meta fiscal de 2016 precipitou a saída, junto com a nota do Ministério da Fazenda sobre o rebaixamento do Brasil pela Fitch na quarta-feira, 16, onde o trecho inicial deu razão à agência de risco ao rebaixamento do Brasil.

O Planalto não teria gostado também do fato de Levy sugerir no comunicado, de acordo com o texto, que faltava "determinação do governo em implantar medidas para corrigir o déficit orçamentário de 2016".

Os petistas já demonstravam preferência da transferência de Nelson, mesmo com a divulgação da simpatia de Lula pelo senador Armando Monteiro, atual ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Indicações

Levy já tinha dado indicações de que iria deixar o cargo na visita que fez, na quarta, ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). "Foi uma espécie de despedida", comentou um dos presentes. Dois senadores com trânsito com Levy relataram à reportagem que ele vinha dando sinais de que deixaria o cargo após concluída a votação das matérias fiscais no Congresso.

O ex-ministro encerrou a reunião do Conselho Monetário Nacional (CNN) na quinta informando que não participará do próximo encontro do colegiado de ministros da área econômica, no final de janeiro.

Guido Mantega

A situação é semelhante ao que ocorreu no ano passado quando o cargo mais importante na área econômica ficou nas mãos de um ministro demissionário. Durante a campanha à Presidência, a presidente "demitiu" o então ministro Guido Mantega ao sinalizar que ele seria substituído se ela fosse reeleita.

 

FONTE: A Tarde



Política LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje